1.17.2008

Antagonismos

A insistência contemporânea com o "anti"
Esse profundo pavor do não ser
Que prefere, em vez de questão
Reduzir-se a ser um Não

Mal sabes que a sinceridade tem ângulos oblíquos
Não se faz neste confronto direto
Menos ainda nos manifestos

De tanto olhares para o inimigo
Percebo-te hipnotizado
Sobressaltado, porém submisso
Pois por ele transtornado

Ao menos tenhas em mente
Não se faz política sem mentiras
E não se faz verdade sem boa arte

Revolucionário é ser sujeito
De cada autêntico desejo
Não é fé o que há por trás
De uma oração subordinada

No comments: